HÁ ALGUÉM AÍ???

Oiiiiii! Psiuuuuu!!!!! Alguém aí?????

peter-oswald-128886-unsplash.jpg
Foto de Peter Oswald no Unsplash

Quero falar com você, fala comigo!!!! Estou te procurando e quero muito te ajudar, você me permite?

Sei como é, também já passei por isso, foi a fase mais difícil da minha vida, me vi sozinha, abandonada e triste…. Bem na verdade isso é só uma pontinha do que sentimos quando estamos com DEPRESSÃO.

Vou contar um pouquinho da minha história para que entenda melhor…

Aprendi após chegar ao fundo do poço que somos nós, isso mesmo mesmo, NÓS que nos fechamos como ostras, que deixamos de sorrir e de sonhar e deixmos muito mais. Aprendi que o caminho sozinha é mais difícil e triste. Aprendi que os primeiros passos somos nós que temos que dar.

Estou aqui para te ajudar, VOCÊ quer?

Foi um período que muito li, e muito busquei para entender o que estava acontecendo comigo, afinal era uma pessoa alto astral, feliz, que tinha um emprego, uma família e tudo mais, e, por que estava assim? Uma coisa é certa nada é por acaso…

Custei a acreditar, que o diagnóstico era DEPRESSÃO. O buraco se abriu, e dia após dia fui caindo, caindo e para surpresa descobri uma gravidez. Aí despenquei!!!!

redd-angelo-61210.jpg
Foto por Redd Angelo em Unsplash

Cada dia mais sozinha, mais triste e tendo por companhia minhas lágrimas assim fiquei por alguns anos….

Fui chamada de louca, que eu tinha que me tratar e eu nada podia fazer pq estava grávida e sabia que nem medicamentos poderia tomar….

Atravessei todo período de gestação e também pós parto assim, passei então a fingir uma felicidade que não existia, para que as pessoas não me julgassem, então ouvia nossa como você está bem, e por dentro só eu sabia o esforço que fazia para para sorrir quando alguém aparecia, queria mesmo era estar sozinha e quieta.

Minhas companhias agora eram as minhas lágrimas e meu pequeno Nikollas, comecei então a dizer para Deus, por que o Senhor deu a ele uma mãe assim, uma família assim, é apenas um bebê e não merece isso, e eu chorava todos os instantes.

O tempo passou, passou e cada dia percebia que estava ficando pior, comecei a me autoagredir, me autopunir, me autoculpar, caí de joelhos e implorei por socoroo, não queria mais viver e pedi para que Deus tirasse a minha vida, só que ao mesmo tempo estava ali um ser pequeno que precisava de mim, de alguém que dele cuidasse e que não tinha culpa do que estava acontecendo comigo, então o desespero tomou conta de mim e eu não enxergava mais nada, e totalmente sozinha, por quê? Porquê, não me abria. Nenhum familiar, nenhum amigo, ninguêm sabia o que eu via….

E sozinha eu fui vivendo um dia de cada vez, ou melhor sobrevivendo, até que….

Falarei sobre isso em outro post, afinal este já está longo….

Fala comigo!!!! Qual sua dor, sua necessidade? Deixe-me estar contigo, é só deixar nos comentários ou me envie um e-mail, te espero!!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s